Domingo, 13 de Abril De 2008

Domingo »assim assim»

               Triste sina

                      

Será que ser triste, é minha sina?

Não consigo prender, a alegria!

Foge-me entre os dedos, escorregadia

E foi sempre assim, desde menina

                                                    

Para mim a alegria, não existe

Eu disfarço, escrevendo Poesia

Engano esta tristeza, com magia

E até esqueço, ás vezes que sou triste

                                           

Mas ao escrever, eu deito cá para fora

Esta agonia, que me mata lentamente

E que maltrata, este pobre coração

                                         

E tudo o que estou sentindo, agora

Ficará no papel, para sempre

Para quem ler, sentir, como eu esta emoção

  M-I -P                     

sinto-me: Assim, assim
publicado por linhaseletras às 17:05
link do post | comentar | favorito
Sexta-feira, 28 de Março De 2008

Segredo

 

               Segredo

                

Hoje vou contar-vos, um segredo

Que eu sem querer, acabei por descobrir

Para vós meu peito, vou abrir

Para libertar, a angustia e o medo

                               

Eu tinha medo , de dar espaço à alegria

E por vezes, eu não a deixava entrar

Tinha receio, dela vir atrapalhar

O meu sossego, nesta vida sem magia

                                 

Agora sei , que escrevendo , eu liberto

Toda a angústia, que em mim estava guardada

E que por vezes, me deixava entristecida

                              

Escrevendo ,para vós, é que está  certo

E fico muito, mais aliviada

E sei dar muito mais valor à vida

                      M-I-P

                              

sinto-me:
disritmia zeca baleiro: A do silêncio
publicado por linhaseletras às 22:36
link do post | comentar | favorito
Terça-feira, 25 de Março De 2008

Estranha inspiração

 
                                   
 
Ol à mais um serão, e mais um soneto para partilhar convosco, hoje não vou falar muito, vou apenas dizer que ontem não consegui publicar nada porque o meu Kanguru«não quis  trabalhar, então vamos a isto.
 
 
 
                          
 
 
               Prisioneira
                               
Não me sufoques, deixa-me respirar
Alivia esta pressão, que h à no meu peito
Nem tu nem ninguém , tem o direito
De à minha vida ,o ar quererem tirar
                                                                                                                                                                                  
Se me Amas, afasta-te e dá-me  espaço
Não acredito, que me queiras na prisão
Podes-me ter sempre no teu coração
E prender-me, na cadeia dos teus braços
                             
Só sendo livre, eu posso gostar de ti
Não aprisiones este Amor que é só teu
Deixa viver , minha vida em liberdade
                                    
O que passou, eu ainda não esqueci
Fui prisioneira, duma vida que me deu
O que hoje tenho, e que é Felicidade
 
 
 
 
 
    M-I-P
                                                                                                                                    
 
                                                                              
 
publicado por linhaseletras às 22:04
link do post | comentar | favorito
Quinta-feira, 14 de Fevereiro De 2008

O passado já não volta

  Ol à como passaram o dia dos namorados? espero que tenha sido muito bem passado , cheio de Amor e muitos carinhos, que é uma coisa que mesmo abusando não faz mal à saúde .
Hoje vou escrever uns versos que também podem ter a ver com este dia, porque me faz lembrar tempos passados e longínquos  ,vamos ver se gostam.
                       
Saudades do passado
                      
Tenho saudades dos dias
Em que só pensava em ti
Sabendo que tu não querias
Nem afastar-te de mim
                     
Ao meu lado  tu passavas
Todo o tempo que podias
A dizer que me amavas
Que sem mim não viverias
                    
Mas o tempo foi passando
E a Paixão foi embora
Infeliz eu fui ficando
Lembrando o tempo de outrora 
                       
Só peço que no final
J à velhinhos e cansados
Lembraremos um sinal
Que nos recorde o passado
  
                               
Por hoje chega,
 até amanhã                                                                                            M-I-P                                                        
 
                                                                                                                                                                                                             
                                                                                                       
sinto-me:
publicado por linhaseletras às 23:39
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
Quinta-feira, 31 de Janeiro De 2008

A minha rua

  Boa noite! cá estou eu de novo, isto já parece um vicio, eu que pensava que não era viciada em nada ,agora não passo sem vir visitar este cantinho, e conversar um pouco com vocês.

Hoje vou falar  da minha rua, um dia destes vinha do trabalho e ao passar na rua  achei-a tão vazia e tão triste que fiz estes versos que passo a escrever.

                   

Saudades da minha rua

               

Ao passar na minha rua

E lembrar tempos de outrora

Vejo como ela está nua

Tanta gente foi embora

                    

Uns partiram para sempre

Outros! ausência forçada

Tanta saudade se sente

Não podendo fazer nada

                   

Se eu pudesse recuar

A Deus eu pedia mais

Eu pedia para voltar

Para a minha rua ,os meus Pais

                   

A angustia de saber

Que o passado já passou

Faz-me também perceber

Aquilo que já não sou

   Esta rosa é para as minhas filhas e para os meus netos para  os meus sobrinhos e também para a Fernanda ,com um  para todos   

Até amanhã se Deus quiser

M-I-P

 

sinto-me:
publicado por linhaseletras às 22:10
link do post | comentar | ver comentários (3) | favorito

mais sobre mim

pesquisar

 

Agosto 2013

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
23
24
25
26
27
28
29
30
31