Sexta-feira, 18 de Abril De 2008

Deprimida

Olá! Acabei de escrever este poema que vou passar para vós, é engraçado! que agora que o escrevi, já não me sinto tão confusa, e já me parece esquisito, mas foi o que estava a sentir no momento
                                        
                Sentir
                                  
Eu sinto, mas o que sinto, é um mistério
Só sinto que não quero, sentir-me assim
Sinto que alguma coisa, está em mim
E sinto, que o que sinto, é muito sério
                        
Será que é só ansiedade? Pode ser
Mas estou cansada, de não ter motivação
Não consigo perceber, a condição
Que a vida me impõe, para eu viver
                          
Passo os dias a pensar, no que vai ser
A minha vida, num futuro que se avizinha
E quando penso, peço ajuda ao nosso Deus
                                  
E assim, vou vivendo, sem saber
Porque razão, eu me sinto tão sozinha
A lutar contra medos, que são meus
                                                     M -I -P
sinto-me: Desmotivada
publicado por linhaseletras às 23:28
link do post | comentar | favorito
Quinta-feira, 03 de Abril De 2008

Aviso

  Olá 
 
 
 
 
Vamos já ao soneto porque hoje tenho que me deitar mais cedo, parece que estou a ficar adoentada, a minha garganta está a querer festa.
 
                         
                       Aviso
            
Do Céu chegou um aviso
Direitinho ao coração
Causou tamanha emoção
Que acabou com meu sorriso
                                
Foi apenas um alerta
Que é preciso não esquecer
Para não ter que  sofrer                                                                                   
Tenho que ficar desperta
                                
A vida nem sempre dá
Duas oportunidades
Por isso toma cuidado
             
Para se ficar por cá
Com menos ansiedade
Há que ouvir bem o recado
 
     M-I-P
sinto-me:
publicado por linhaseletras às 22:13
link do post | comentar | favorito
Sábado, 01 de Março De 2008

Deprimida

 
Olà ainda continuo um pouco deprimida, mas não deixo por isso de vir aqui deixar-vos uns versos que fiz hoje que mostram a minha disposição e como me estou sentindo à j à alguns dias, mas isto vai passar até porque de vez em quando a saudade bate forte e tem que se deitar c à para fora o que se est à sentindo, porque senão corremos o risco de danificar alguma »peça da nossa m à quina».
                    
                      
Imagens sagradas
                
Eu olho as fotografias
E elas olham para mim
Elas dão luz aos meus dias
Nesta escuridão sem fim
                                                                                                                                                                             
H à muita tristeza em mim
Quando olho essas molduras
E uma saudade sem fim
Dessas duas criaturas
               
São fotos !São só papel
Pode ser! Mas são tão belas
Que eu acho muito cruel
Viver a vida sem elas
                                         
J à chorei muito na vida
Mas nunca ser à demais
Pois essas fotos tão queridas
São as fotos dos meus Pais
 
                        
 
É este o meu estado de espírito , é só uma crise passageira, est à quase a passar.
 
 
 
 
     M-I-P
                                                                                                                                     
 
                            
                                                                    
 
sinto-me:
publicado por linhaseletras às 23:20
link do post | comentar | ver comentários (3) | favorito
Terça-feira, 05 de Fevereiro De 2008

Lágrimas

    Hoje vou falar muito  pouco, estou um pouco deprimida, sendo assim vou escrever um poema que fiz há mais de vinte anos.
Embora isto não tenha nada a ver comigo agora ,ainda me diz muito.
                 
Eu hei-de morrer chorando
                    
 
Eu hei-de morrer chorando
Porque chorando nasci
Meu pranto foi aumentando
Desde o dia em que te vi
                    
Mas mesmo assim a sofrer
Ainda te vou amando
Neste meu triste viver
Eu hei-de morrer chorando
                       
Ó que vida amargurada
Eu outra não conheci
Não tenho gosto para nada
Porque chorando nasci
                 
Tu és injusto comigo
E isso vai-me matando
Que desde que estou contigo
Meu pranto foi aumentando
                  
Eu sinto-me envelhecer
Eu sinto que já morri
Eu comecei a morrer
Desde o dia em que te vi
                
Até amanhã se Deus quiser um  para quem me visitar
sinto-me:
publicado por linhaseletras às 21:56
link do post | comentar | favorito

mais sobre mim

pesquisar

 

Agosto 2013

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
23
24
25
26
27
28
29
30
31