O Poeta não morre

 
 
 
O Poeta nunca morre
 
 
 
 
Ser Poeta é viver, eternamente
Nem a morte o consegue, destruir
E não desaparece, se ao partir
Soltar os seus poemas, livremente
 
 
Não cales dentro de ti, o Amor
Passa o que sentes, para o papel
Adoça  as horas amargas, com mel
E tenta esquecer, a tua dor
 
 
Só a  Poesia sara, a ferida
Que esta dor abriu, com malvadez
E que vai sangrando, devagar
 
 
Só com Poesia eu vejo, a vida
Com alguma cor, de quando em vez
E volta-me a vontade, de sonhar
 
 
   M-I-P
publicado por linhaseletras às 20:07
link do post | comentar | favorito