Feiticeiras

 
 
Feiticeiras
 
 
 
Será que as há? Há muitos anos atrás quando a família se juntava toda á volta da lareira, e conversava sobre tudo num são convívio, que diga-se a verdade, eu tenho saudades desse tempo!
Não havia televisão, e o tempo era passado de uma maneira diferente e mais saudável, que agora.
Agora as pessoas passam mais de metade do tempo que tem livre a olhar para um ecrã, e nem se lembram que é preciso  conversarem.
-------------Pois é! mas não foi este assunto que me fez vir aqui escrever estas linhas, a ideia foi outra.
Mais uma vez eu vou voltar ao meu passado, e vou recordar bons momentos passados ao lado dos meus Pais, quando éramos todos felizes.
---Mas isto já lá vão muitos anos......
-Nesses serões á volta da lareira, além de se conversar na vida ,contava-se muitas histórias. lia-se bastante, eu lembro-me do meu Pai ler muito para nós, era o que ele mais gostava de fazer, e lia de tudo, deste romances até Poesia, é dai que me vem esta Paixão.
 
Entre muitas histórias contavam  uma que eu nunca esqueci, sobre umas mulheres a quem o povo chamava "Feiticeiras" e afirmavam que eram pessoas verdadeiras, que durante o dia eram umas pessoas normais, mas que á noite saiam em grupo para as chamadas "Reuniões"e que por lá passavam a noite e só regressavam de manhã para retomarem a sua vida de donas de casa, depois de fazerem as suas "Feitiçarias".
Contavam  então os meus Pais que havia uma vizinha que desconfiavam que fosse " Feiticeira"mas nunca ninguém tinha tido essa certeza, até aquele dia em que na sua "Reunião"quando iam partir para as suas viagens nocturnas para fazerem os feitiços, se enganaram na frase que tinham de dizer, para começarem a viagem.
---------------A frase era:"Voando Voando por cima de toda a folha" mas só que engaram-se e disseram: "Voando Voando por baixo de toda a folha"
 
Escusado será dizer que a Senhora no outro dia de manhã quando saiu á rua vinha com o corpo todo numa lástima, eram arranhões por todo o lado, e assim foi descoberta a sua vida dupla.
Esta e outras histórias eram contadas com tanto pormenor que faziam-nos crer a nós crianças que eram reais, e talvez quem as contava chegava a acreditar nelas também nisso.
 
Esta foi a história que escrevi para a fábrica de histórias
 
 
http://fabricadehistorias.blogs.sapo.pt/
 
   M-I-P:


  




 









publicado por linhaseletras às 22:36
link do post | comentar | favorito