...

 
 
 
 
Vida suspensa
 
 
Vejo a tristeza, em teu olhar
Noto a cadência, dos teus passos
E sinto a falta, dos abraços
Que sem pedir, tu me ias dar
 
 
Há! Juventude, ingrata e infiel
Partiste e não voltas, nunca mais
Agora, os dias são  sempre  iguais
E na boca,  tenho  o amargo do fel
 
 
Onde está o vigor, dos verdes anos
Onde pára, a alegria de viver
E a grande vontade de sonhar
 
 
Do que eras, só sobram  desenganos
Os dias são passados, a sofrer
Esperando pelo fim,  que há-de chegar
 
 
 
                                    M-I-P
 
 
 
 
 
 








publicado por linhaseletras às 00:54
link do post | comentar | favorito