Promessas

 
 
Este é o nono soneto da coroa
 
 
 
 
Promessas
 
 
Nunca ninguém dá, o que promete
Não deixes que te levem, em cantigas
Afasta da tua mente, as intrigas
E vê bem o sitio, onde te metes
 
 
Há sítios que parecem, um jardim
Não te iludas! lá dentro, são um horror
Não existe, nem uma simples flor  
E tudo o que encontras, é ruim
 
 
É ruim  o que vês, á tua volta
É feio o que os teus olhos enxergam
Deixando-te tão triste e desiludida
 
 
Não cales dentro de ti a revolta
Aponta os erros, para que vejam
Que tu tambem tens,  direito á vida
 
                M-I-P                       
 
 
 
 








 
publicado por linhaseletras às 00:42
link do post | comentar | favorito