Partida

 
 
A minha aldeia
 
 
 
Quando olho para trás,  e não vejo
As tuas casas brancas, bem caiadas
Caiem sobre mim, desordenadas
Mil saudades de ti, meu Alentejo
 
 
Metida no meio, do arvoredo
Pareces um pombal, de pombas brancas
Tuas gentes simples, mas tão francas
Parece que guardam, um segredo
 
 
 
São felizes com aquilo, que Deus dá
E sabem receber, com o coração
E fazem da aldeia, um Paraíso
 
 
Amigo! Se puderes passa por lá
Olha aquela gente, com Paixão
 Para lhe agradares, basta um  sorriso                                                                         
 
  M-I-P
                                                     





  


 

publicado por linhaseletras às 00:57
link do post | comentar | favorito