Menina mulher

Está-me a apetecer escrever mais ,estes  versos vão mostrar mais um pouco de mim,

 

o que na realidade eu fui e talvez ainda continue a ser.

 

Inocência roubada

 

Não me deixaram viver

Nunca tive adolescência

Fui morta logo ao nascer

Roubaram-me a Inocência

 

Cresci muito de repente

Fui achada e fui perdida

Fui mulher precocemente

Com vida muito sofrida

 

Não devia de sofrer

Alguém  que é tão inocente

É um pecado fazer

Tanto mal impunemente

 

Eu tento esquecer o mal

Que me fizeram passar

Mas o que é certo afinal

A ferida não vai sarar

 

Isto é a minha realidade 

 

Por isso eu sou

 

Escrava de uma vida

 

Eu não sou o que pareço

Nem pareço quem eu sou

Não tenho o que mereço

Nem devo estar onde estou

 

Sou escrava duma vida

Que eu nunca escolhi

Apanharam-me á saida

E fui amarrada a ti

 

Com o tempo fui sabendo

Que a vida é mesmo assim

Contigo fui aprendendo

E esqueci-me de mim

 

Acordei p'ra vida agora

Já um pouco atrasada

Relembro o que fui outrora

E o que fui! Não me agrada

 

                 Agora é que me vou embora     

 

 

 

Amanhã há mais

publicado por linhaseletras às 23:54
link do post | comentar | favorito