Regresso

Olá hoje vou oferecer-vos o último soneto que fiz no Alentejo , então vamos a ver se gostam, porque é um pouco esquisito , mas era o que estava a sentir naquele momento, foi escrito na última noite que lá passei.
 
                     
Chegar estar e partir
                
Eu não consigo entender
Este misto de emoções
Eu tenho tantas Paixões
Que não dá para perceber
                 
Quando chego, é alegria
Se cá estou, sinto saudade
É tamanha a ansiedade
Que chega a ser agonia
                         
Chega a hora de ir embora
E sinto uma dor no peito
Que é difícil   de aguentar
                        
Aquilo que sinto agora
Parece um sonho desfeito
Que já não há volta a dar
 
   M-I-P                                              
sinto-me: Como o tempo
publicado por linhaseletras às 23:31
link do post | favorito