Terra amiga

    Vamos a mais um soneto escrito no Alentejo
                             
Minha terra
           
 
Minha terra minha amiga
Para mim és um tesouro
Este teu sossego é ouro
Que enriquece a minha vida
                    
Nos meus momentos mais negros
Soubeste-me acarinhar
Deste-me força para lutar
Contra a tristeza e o medo
                 
Tive medo de perder
Para sempre o meu sorriso
E só sentir sofrimento
                
Mas aqui, voltei a ter
A Paz que eu tanto preciso
E venci o desalento
                  
 
                                                        M-I-P
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
sinto-me: Muito calma
publicado por linhaseletras às 23:33
link do post | favorito