Grito

  Olà !J à cheguei um pouco atrasada mas j à c à estou para escrever o poema do dia, andei a navegar por outros blogs e quase me esquecia que se estava a fazer tarde, mas valeu a pena, porque li coisas muito belas
e tenho muito para pesquisar e aprender.
E cheguei à conclusão que sou uma pequenina estrelinha neste universo que é a Poesia
mas sinto-me muito bem, embora eu saiba que não o sei escrever correctamente, e o que escrevo são umas partículas de pó que se vão espalhar e  desaparecer, mas enquanto eu puder escrever o que sinto não o vou parar, porque me d à imenso prazer faze-lo.
Mas agora vamos ao poema do dia
 
 
 
                  
 
Grito
                     
Eu quero gritar aos quatro ventos
Que te Amo a ti mais que ninguém
Quero soltar meus pensamentos
Para que oiças tu e mais alguém
                                                                                                                  
Eu de tanto gritar jà estou rouca
Mas não  deixo de gritar a minha dor
Eu grito para soltar esta revolta
De viver nesta vida sem Amor
                        
 Meu grito, não  é de dor , mas de revolta
Por aquilo que a vida não me deu
Mesmo a gritar, eu vou saber dar a volta
Para que saibam que a esperança não morreu
                                                                                                                     
Mesmo que peças , eu não  me hei-de calar
Quero que saibam, aquilo que vai c à dentro
Talvez ouvindo, alguém me venha ajudar
E cale o grito , que trago no pensamento
 
                             
  
Até amanhã   M-I-P
 
                                                                                                                                                                           
publicado por linhaseletras às 23:46
link do post | comentar | favorito