Domingo, 30 de Outubro De 2011

Pensamento

 
 
Pensamento
 
O meu pensamento é um cavalo,
Que galopa , galopa sem cessar,
Eu peço!! eu suplico para parar,
Mas não liga mesmo nada ao que eu falo.
 
Pensa! Pensa em tudo não interessa,
Se eu gosto ou não gosto, não importa,
Está sempre a bater na  minha porta,
Pedindo para entrar que está com pressa.
 
Pára pensamento e descansa,
Não tortures mais minha existência,
Deixa descansar a minha mente.
 
Deixa-me ficar com a esperança,
Deixa-me testar a  resistência,
Deste coração que chora e sente.
 
M-I-P
publicado por linhaseletras às 21:30
link do post | comentar | ver comentários (4) | favorito
Quarta-feira, 19 de Outubro De 2011

Deus nos ajude

 
 
Deus nos ajude
 
Que mundo é este Senhor,
Que maltrata nossos filhos,
Que em vez de Paz há terror,
Que em vez de Pão há sarilhos.
 
Que futuro podemos ter,
Se não se fazem projectos,
Será que não vamos ter,
Trabalho para os nossos netos.
 
Eu por mim pouco me ralo,
Pois já vivi alguns anos,
Mas mesmo assim não me calo,
Quando vejo tantos danos.
 
Saúde e educação,
Trabalho e  economia,
Tudo é desolação,
Vivemos em agonia
 
  M-I-P
publicado por linhaseletras às 21:34
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
Sexta-feira, 07 de Outubro De 2011

Os meus livros

 

Os meus livros

 

Escrever sobre "escrever" é um enorme prazer, rima e é uma grande verdade.

Escrever é o melhor remédio para a solidão e para o stress.Escrever faz bem á alma e alivia o coração, deixa -o mais leve e talvez ,quem sabe,evite alguns problemas relacionados com o acumular de emoções.

Escrever para mim, é uma forma de estar na vida.Foi talvez uma maneira  que Deus me deu para aliviar as minhas mágoas e sentir-me menos só e mais realizada como pessoa.

Há muitos anos atrás numa fase da minha vida muito atribulada ,foi a escrita que me fez companhia nos momentos mais difíceis A escrita era aquela Paixão que eu guardava dentro de mim em segredo, não queria que ninguem  soubesse qual o motivo da minha tranquilidade de espírito naqueles momentos em que o mais óbvio  seria   deixar tudo e partir para "outra"

-----Foi a "Palavra" que eu tinha dentro de mim que me ia  ajudando a suportar tudo.

Assim fui escrevendo o que sentia e fui guardando em segredo absoluto, porque também sabia que nunca ninguém ia acreditar que debaixo daquela calma  podia haver tanta coisa escondida.Ainda hoje muitas pessoas que me conhecem desde sempre ficam surpreendidas com aquilo que faço.

----Há quatro anos resolvi revelar o meu segredo.

Comecei por mostrar á minha neta Joana e ela  gostou tanto que eu pensei!!!!Porque hei-de guardar só para mim este prazer?Nesse momento achei que era "egoísta" e decidi partilhar com mais pessoas.

Se bem pensei ,mais depressa o fiz, e fui bastante radical.Como sempre gostei de informática decidi comprar um computador e mesmo sem nunca ter mexido numa "coisa "  daquelas aprendi rapidamente o mais básico. Uma amiga   fez-me um "blog"  e comecei a publicar nessa página  o que tinha escrito e guardado e tive muitas surpresas agradáveis.

Pessoas  a comentar, muitas opiniões, algumas ajudas e acabei por  libertar o meu segredo e deixá-lo voar  pelo mundo.

Muita gente ficou "espantada" nem acreditavam que era eu  que estava ali a publicar  aquelas coisas.

Passado  algum tempo, apenas alguns meses deram-me um endereço dum blog, também de  Poesia e comecei a comentar os trabalhos que aí era colocados, e criei uma enorme empatia com a Sra. desse blog que é hoje uma grande amiga.

Algum  tempo depois várias pessoas começaram a dizer-me para escrever um livro,  eu achei  muito pouco provável isso vir a acontecer até porque era uma coisa que estava completamente fora dos meus planos e também me faltava a coragem, e pensava que não estava preparada para dar um passo dessa dimensão.

Mas mais uma vez Deus pôs no meu caminho as pessoas certas e eu arrisquei a enviar  as minhas "Palavras" para analise e qual não foi o meu espanto quando os meus trabalhos foram aceites.

Fiquei muito feliz e  em Junho de 2009 o meu primeiro livro  com o titulo"Palavras sentidas" estava nas minhas mãos como se fosse um filho que acabava de nascer.Lembro-me da grande  emoção que  senti quando  vi o meu livro pela primeira vez, quando me apercebi que o meu segredo morria ali e que nascia uma nova  etapa da minha vida.

No ano seguinte em Fevereiro de 2010 saiu o segundo trabalho  com o titulo "Eu e as palavras"foi muito bom também mas já não senti o mesmo que do primeiro, e continuei a escrever  e estou neste momento com outro livro prerarado para sair o que deve acontecer para o inicio do ano,

Como vêm  escrever sobre "escrever" é muito fácil.

O que escrevo básicamente é Poesia mas tambem gosto de escrever sobre vários temas e dar largas á minha imaginação.

Escrever para mim é tão necessário como comer e dormir.

E vou acabar por aqui porque isto é um tema que dava "pano para mangas"

 

Texto escrito mas não ficçionado  para :Fábrica de Histórias

 

publicado por linhaseletras às 21:58
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
Sábado, 01 de Outubro De 2011

Noite sem fim

 

 

 

Noite sem fim

 

O dia nasceu um pouco"farrusco" umas nuvens tapavam o Sol que acabava de aparecer no horizonte e teimoso lançava os seus raios dourados sobre a terra.

Aurora ficou um bocadinho triste porque precisamente nesse dia tinha planeado sair e ir  dar um passeio até á beira mar, não que quisesse dar algum mergulho mas queria ouvir e sentir o cheiro do mar.

Mas tambem num instante mudou de ideias.

Soube  que havia uma festa popular ali perto de onde  residia e resolveu mudar os planos

Pegou no telemóvel e ligou para a sua amiga Rita.

-----------Rita por onde andas tu ? A esta pergunta a Rita respondeu com uma voz um tanto sumida. Estou para aqui sozinha e triste sem ter nada para fazer.Tirei dois dias de férias a pensar que ainda ia apanhar um pouco de praia e afinal o tempo pergou-me esta partida.

Agora vou aproveitar o dia  e vou dormir o dia todo para recarregar baterias.

------Dormirrrrrr!!! Grita a Aurora do outro lado , nada disso. Eu liguei para te convidar para dar-mos um passeio , irmos a uma festa aqui perto que dizem ser muito divertida e para o final da noite há baile até o Sol nascer e com gente muito gira. Estás a entender???

Por isso esquece  a cama por hoje.

...Está bem!!Convenceste-me.A que horas  queres ir?A Aurora ficou entusiasmada com a ideia de irem passar um dia diferente e ainda por cima ter  sido planeado em cima do" joelho". Mas também pensou que as coisas sem serem programadas saiem  sempre bem e há sempre o factor surpresa.

Então  responde a Aurora!Depois do almoço, aí por volta das três horas, acho que vamos em a tempo.

Ás quinze horas em ponto lá estava a Rita á porta da amiga para seguirem para o seu passeio que era afinal uma alternativa  aquilo que tinham planeado.

Mas a esse hora já o dia tinha mudado de aspecto, estava um Sol radioso e um céu limpo e tão azul que mais parecia uma  enorme Safira.

E a Rita pouco entusiasmada com o passeio disse  para a amiga. Já viste o dia que está, bem podiamos alterar os planos.

--Nem penses nisso!Agora vamos para a festa a acabou-se.

Realmente a festa  estava muito bonita, muitas coisas para ver, muitos stands de exposições onde viram fazer o nosso artesanato e até compraram algumas  peças feitas de propósito para elas  com uma dedicatória e trocaram entre si para  recordar esse dia.

Deram volta ás "barracas" todas, comeram um bom sorvete bem "aviado" estavam a adorar aquela tarde que estava a ser muito divertida.

---Já era noite e resolveram ir comer qualquer coisa e sentaram-se   a uma mesa no restaurante da feira e pediram frango assado na brasa com uma boa salada e  no final uma bela "fartura"jantaram muito bem.

Já estavam  a achar que o tempo estava a passar depressa demais, quando na mesa  mesmo em frente  a elas dois jovens muito bem parecidos,   parecendo que estavam sozinhos não tiravam os olhos de cima delas.

Uns minutos  depois a mesa em vez de ter duas pessoas  a jantar passou a ter quatro.

----Escusado será dizer que a partir desse momento a festa ficou muito  mais animada.

Mas  a  noite começou a ficar ventosa e até fria e já perto da meia noite começou a chover um pouco. Mas ninguém pensou que a partir daquele momento o tempo iria piorar mais ainda.

Começa a fazer relâmpagos  e trovões e a chover torrencialmente, o vento não parava de " soprar" tão forte que  alguns toldos  voaram e gerou-se algum pânico entre as muitas pessoas que andavam a passear.

Tiveram  de  se  abrigar daquela tempestade fora de tempo que  lhe  causou bastante medo e parecia que aquela noite não ia ter fim.

O que  valeu para não ficarem tão assustadas foi terem a companhia daqueles dois jovens, que tambem estavam assustados, mas para afastar o medo ficaram abraçados a elas até passar aquele "dilúvio".

Já era quase manhã quando  deixou de chover e de fazer trovões, e deram por  terminada   essa festa que afinal foi muito bonita e diferente,  mas que não irão esquecer tão cedo por vários motivos,  principalmente aquela noite tão assustadora que parecia não ter fim.

 

texto escrito e ficcionado para a :Fábrica de Histórias

publicado por linhaseletras às 00:20
link do post | comentar | favorito

mais sobre mim

pesquisar

 

Outubro 2011

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
31