Quinta-feira, 24 de Fevereiro De 2011

Deixa-me!!

 

 

 

 

 

 

 Deixa-me

 

Deixa-me sondar teus pensamentos,

Deixa-me sentir os teus sentidos,

Deixa-me ouvir os teus gemidos,

Deixa-me guardar nossos momentos.

 

Deixa que eu te ame sem ter pressa,

Deixa que eu te olhe um só segundo,

Deixa-me esquecer hoje este mundo,

Deixa para depois nossa conversa.                                       

 

Deixa as confusões para outro dia,

Deixa tudo assim que não faz mal,

Deixa aproveitar o que é só nosso.

 

Deixa-me viver esta alegria,

Deixa-me seguir  agora este sinal,

Deixa-me fazer o que hoje posso

 

 Leaf Pile         M-I-P

 

 

 

 

 

 





publicado por linhaseletras às 22:56
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito

Alma gémea

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Alma gémea
 
 
 
Mimi arrumava a sua secretária com todo o cuidado como fazia todos os dias há quase vinte anos.Era já uma rotina, como rotina era o seu trabalho. Eram sempre as mesmas contas  as mesmas pessoas, sempre igual, já estava a ficar cansada e talvez por isso o patrão admitiu uma nova funcionária.Era jovem e com umas ideias muito diferentes daquelas a que a Mimi estava habituada .
Mimi estava naquela empresa há vinte anos , era uma empresa familiar por isso não tinha havido nenhuma evolução e a Mimi já se tinha habituado aquela "pasmaceira" e nem queria mudar.
Quando lhe falavam em computadores ela dizia que isso eram "modernices" e que as coisas estavam muito bem assim.
Mas com a chegada da nova colega as coisas mudaram muito e a Mimi ficou um pouco á "deriva" sem saber o que fazer com aqueles novos métodos.
Numa manhã  quando entraram ao serviço o patrão chamou as duas e disse-lhe que a partir daquele dia as coisas iam mudar, ia ser tudo feito por computador, era mais rápido e as novas leis assim o exigiam.
Mas como  Mimi não percebia nada de informática foi a Carol a nova colega que ficou encarregue de lhe ensinar tudo o que ela não sabia e que era preciso saber.
Assim começaram a passar muito tempo juntas e daí nasceu uma bela amizade.Mimi era uma pessoa na casa dos trinta anos solteira, com alguns romances que tinha acabado mal e por isso há muito tempo que estava sózinha e estava feliz com isso ,dizia ela que não queria aturar ninguém, queria ser livre e ir para onde quisesse sem ter que dar satisfações a ninguém.
Mas Carol não era assim e estava sempre a dizer que a vida que a amiga levava não tinha sentido e que ela devia procurar alguem para  lhe fazer companhia e ter tambem alguem para trocar ideias , porque as ideias da amiga eram muito do passado que nada tinham a ver com esta tempo de agora.
Uma tarde quando o trabalho era pouco e estavam com algum tempo livre a Carol perguntou á Mimi há quanto tempo não ia a um Bar a Mimi até ficou escandalizada com a pergunta e disse á Carol.De onde é que te veio essa ideia de eu ir a um Bar, nem nunca fui nem nunca hei-de ir ,isso não é sitio para gente decente.
E tu Carol! Vás a esses sítios?
Claro que vou e vou quase todas as semanas e encontro lá sempre gente interessante, tu  devias ir uma noite comigo.
Nem penses nisso!Para esses sítios não me levas tu.
As coisas entre elas continuaram na mesma , a Carol a sair aos fins de semana e a Mmi a ficar em casa a ver televisão e a pensar na "morte da bezerra".
Numa segunda feira de manhã Carol entrou no escritório eufórica e disse para a Mimi! Se tu soubesses a noite que eu passei este fim de semana até caías para o lado.
Conta lá então o que se passou assim de tão especial, com essa tua euforia até fiquei curiosa.
Olha Mimi encontrei lá um homem fantástico, parecia um actor e novelas, convidou-me para a mesa dele e estivemos a conversar toda a noite, já no fim da noite apareceu um amigo dele a dizer que estava aborrecido e que se queria ir embora.
O homem que estava comigo e era amigo dele perguntou a razão desse aborrecimento, ao que ele respondeu que estar sozinho num sitio daqueles era uma "chatice!
Então o que estava comigo perguntou-me se eu tinha alguma amiga para apresentar ao amigo dele e eu lembrei-me de ti.
Tu não estás boa da cabeça Carol achas que eu vou a um sitio desses para estar com um homem que nunca vi
Esquece, vamos trabalhar! Está bem mas eu não vou descansar enquanto não te convencer a ir comigo.
Ao fim de algum tempo e de muita teimosia de Carol a Mimi cedeu á vontade de Carol e combinaram uma saida numa sexta feira á noite.
Nessa tarde a Mimi estava um pouco nervosa ,ia fazer uma coisa que nunca tinha feito e agora com aquela idade até achava um pouco ridículo mas foi com a amiga.
Quando chegou ao Bar ficou deslumbrada com aquele ambiente, achou que tinha pouca luz mas depressa se abituou ao escuro, ao fim de algum tempo chegou o amigo de Carol acompanhado de outro homem que foi apresentado a Mimi e que se sentou ao lado dela  e começou a conversar tanto, que a Mimi ficou sem palavras e sem assunto para ele, mas ao contrário do que ela pensou sentiu-se muito bem com aquela companhia masculina e até achou que a noite passou depressa demais.
De regresso a casa começou a fazer perguntar á amiga, só que Carol não lhe sabia responder e sendo assim marcaram outro encontro para Mimi saber mais alguma coisa acerca daquele homem que já não lhe saia da cabeça.
Mimi até ficou um pouco assustada com aquele novo sentimento que ela desconhecia mas que lhe dava um enorme prazer sentir.
Andou toda a semana ansiosa por chegar a sexta feira para voltar a ver de novo aquele homem que a tinha deixado com a cabeça nas nuvens e a sentir coisas que nunca tinha sentido.
Sexta feira chegou finalmente e a noite também e tambem  aquele homem maravilhoso que nunca mais lhe tinha saído do sentido.
Quando chegaram ao Bar os dois homens foram juntar-se ás duas amigas e cada par foi para seu lado, já não fazia nenhuma impressão á Mimi estar com um homem que tinha conhecido há pouco tempo, e nesse dia fez uma descoberta maravilhosa!Estava a apaixonar-se de novo e agora sentia que era para sempre. Aquele homem apareceu na sua vida na hora certa e ela ia fazer tudo para não o perder e chegou á conclusão que tinha encontrado a sua "Alma gémea"
Texto escrito e ficcionado para :
 http://fabricadehistorias.blogs.sapo.pt/
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
publicado por linhaseletras às 00:05
link do post | comentar | favorito
Quinta-feira, 17 de Fevereiro De 2011

Paixão

 
 
 
Paixão
 
 
 
Eles são para mim o Universo,
Com o Sol a Lua e as Estrelas,
Só consigo viver com todas elas,
E deixo esta Paixão em cada verso.
 
Um simples  olhar deles me seduz,
E  enche o meu peito de alegria,
Transformando o cinzento do meu dia,
Num lindo céu azul e cheio de luz.
 
Sem  a sua  voz eu fico muda,                                                         
Sem o seu sorriso eu fico triste,
E deixo de ter sonhos  e projectos.
 
Com  tanto silêncio fico surda,
Sem sua presença nada existe,
Porque a minha vida é meus netos.
 
 

 Valentine present  M-I-P  





publicado por linhaseletras às 23:34
link do post | comentar | favorito
Segunda-feira, 14 de Fevereiro De 2011

Feliz dia dos namorados

publicado por linhaseletras às 00:56
link do post | comentar | favorito
Quinta-feira, 10 de Fevereiro De 2011

Para lá das trevas

  
 
 
 
 
Para lá das trevas
 
 
Algo me arrastou para lá das trevas,
Para um mundo estranho e sem sentido,
Onde ouvi sussurros e gemidos,
E perguntei ao sonho, onde me levas?
 
Levo-te para outra dimensão,
Onde mora a Paz e o sossego,
Onde não precisas de ter medo,
E onde só há luz ,não escuridão.                                              
 
Onde há harmonia e felicidade,
Aonde tudo é puro e Natural,
De onde não desejes vir embora.
 
Mas o que eu procuro é a verdade,
Eu  não  quero esse mundo virtual,
Eu quero viver a vida aqui e agora.                                             
 
 
                                                                                                        
 Chocolate Valentine   M-I-P




publicado por linhaseletras às 23:21
link do post | comentar | ver comentários (3) | favorito
Quarta-feira, 02 de Fevereiro De 2011

Uma história ao acaso

 

 

Uma história ao acaso

 

 

 

Eram 6,3o da manhã, duma manhã fria de Inverno, mas diziam os meteorologistas que ia estar um Sol radioso, o despertador fez aquele barulho horrível,  estendi o braço para o "calar" mas de repente abri os olhos e lembrei-me que  ia viajar, era uma viagem com um sabor especial.

Mais uma vez ia ao meu Alentejo e isso era um bom motivo para sair da cama aquela hora da manhã.

Era Inverno  o dia estava muito bonito mas muito frio

O Sol brilhava com uma intensidade que quase nos "cegava" e o céu estava tão azul que  mais parecia uma enorme"safira"

Mas o melhor estava para vir. Ao fim de algum tempo de viagem entrei no Alentejo e o Sol tornou-se ainda mais  brilhante e o céu ainda mais azul.

Tinha caído geada durante a noite e o chão estava branquinho cheio de gotas de orvalho que mais pareciam  cristais.

Mas o que mais me impressionou foi ver o Sol por entre as azinheiras e chaparros lançar  uns raios dourados como "ouro".

Assim que tocavam o chão formava-se um nevoeiro que bailava e chocando com os raios de Sol fazia um efeito "mágico, onde se misturavam as gotas de orvalho com o dourado do Sol tudo junto dava  um efeito espectacular que não dá para descrever.

Eu sei que esta viagem foi muito bonita e eu tentei gravar  na memória aquela imagem e consegui, porque ainda hoje quando fecho os olhos consigo ver esse espectáculo da Natureza.

Depois de chegar ao meu destino e descansar umas horas fiz o percurso inverso e o que tinha visto  de manhã transformou-se noutro espectáculo tão belo ou ainda mais belo que  aquele a  que tinha assistido  umas horas antes.

Onde havia nevoeiro e gotas de orvalho estava agora a descoberto campos  de malmequeres brancos como a neve numa extensão a perder de vista a fazer lembrar a chegada da Primavera.

Ah! Como eu gostava de ter tempo para passar as manhãs a ver os raios de Sol a beijar  a terra e a terra a agradecer, lançando nevoeiro para os "conquistar".

Quem me dera puder passar pelos campos á tardinha e receber o aroma dos malmequeres pequeninos que ao longe mais parece um quadro pintado por algum pintor que por ali passou e tal como eu ficou enamorado por aquela beleza pura e tão Natural.

A juntar a esta beleza ainda há os animais as vacas  os cavalos  as ovelhas e os porcos também, que gozando aquele Sol de Inverno se vão alimentando das ervas frescas que brotam do chão por todo o lado, e os coelhos bravos que saem das suas tocas e vêm para o Sol "lavar " as suas orelhinhas e aquecerem-se.

Isto não é ficção é realidade aquela realidade  que só quem vive no campo tem o privilégio de ver e sentir

Quem me dera ser uma dessas pessoas privilegiadas, mas como não sou vou  ter e saborear de vez em quando essa imagens "mágicas" e maravilhosas

 

                                http://fabricadehistorias.blogs.sapo.pt/

 Texto escrito para :

publicado por linhaseletras às 23:12
link do post | comentar | ver comentários (3) | favorito

mais sobre mim

pesquisar

 

Fevereiro 2011

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
11
12
13
15
16
18
19
20
21
22
23
25
26
27
28

slides

http://www.slide.com/r/-XXWN-6Y5z9Wa2MrzIJMLgOWmqJIjdOl?previous_view=msc
d_embedded_url&view=original

gato

cutxy

hiper contador

fabrica de histórias

autores-editora

visitas

online

IGAC

Logotipo da IGAC

slide