Quinta-feira, 27 de Janeiro De 2011

Lamparinas

 
Lamparinas
 
 
Nessa manhã Sofia acordou e na sua cabeça ainda tinha as imagens do sonho que a tinha feito andar nas nuvens toda a noite.
Depois do banho foi tomar o pequeno almoço  e saiu para o seu emprego como fazia todos os dias. Mas naquele dia tinha  uma ideia nova na sua mente.Tirar umas férias, mas gostava que a sua amiga Júlia a acompanhasse.
Nessa manhã nem conseguia concentrar-se no tabalho de tão anciosa que estava  só de pensar que ia ter umas férias e viajar.
Já havia mais de dois anos que não conseguia ir a lado nenhum e férias também tinha tido poucas. A empresa onde trabalhava tinha começado a funcionar  há pouco tempo e o patrão  pediu um esforço um pouco maior aos seu colaboradores e esse esforço incluía não ter férias, ou ter só parte delas.
Mas agora já não era preciso um esforço tão grande e já se podia gozar as férias tão merecidas.
Assim que a Júlia chegou correu para ela e disse-lhe! Sabes amiga, hoje acordei com uma ideia  espectacular mas queria que  fizesses parte  dela.
Então que ideia é essa  Sofia tão espectacular? Já estou a ficar curiosa ,deita-a  cá para fora senão ainda rebentas.
Júlia queres ir viajar comigo? tiramos  as nossas férias  e vamos pelo mundo sem destino.
A ideia é muito tentadora e eu aceito, assim me deixem tiras as férias na mesma altura que tu.
Mesmo nesse dia foram pedir ao chefe se lhe dava  as férias  na mesma altura e como o chefe estava em dia "sim" marcou logo as férias para a semana  a seguir.
Nesses dias que antecederam o começo das férias não tiveram mais descanso.Foi um corrupio para as agencias de viagens, a escolhas do guarda-roupa foi uma dor de cabeça.Tiveram de parar um tempo para decidirem para onde queriam ir e depois então pensarem na indumentária.
Tanto escolheram que foram parar ao Brasil, e ainda pouparam na roupa mesmo sendo a viagem mais cara que para outros destinos.
Agora que estava  decidido  o destino e  o guarda -roupa era só fazer as malas e partirem á aventura.
Finalmente chegou o grande dia, nessa noite  não conseguiram dormir e para ser mais fácil para as duas controlarem a ansiedade, a Julia  veio para casa da Sofia, que ficava mais perto do aeroporto e assim iam logo juntas para não perderem mais tempo.
Já no interior do avião não paravam de fazer projectos para aqueles dias maravilhosos que iam passar.
A viagem foi longa mas as duas não pensavam nisso, a ideia estava já no destino final
Quando chegaram estavam cansadas mas muito felizes por terem conseguido realizar  o seu sonho, nos dias que se seguiram Sofia e  Júlia não pararam, queriam ver tudo o que pudessem, foram a sítios maravilhosos, paraisos, com coisas que mesmo nos sonhos nunca tinham visto.
Mas houve um dia quase no fim das férias já estavam a  pensar no regresso resolveram ir visitar os sitios onde se tinha dado a tragédia das inundações e desmoronamentos.
Ficaram horrorizadas com o que viram e com o coração apertado ao ver aquela destruição.
Em muitos sítios onde antes havia casas e gente havia agora destroços e muitas casas destruídas, havia por todo o lado altares com muitas velas acesas,  pequenas lamparinas a iluminarem os sítios onde tantas vidas se perderam.
Depois duma viagem tão bonita não pensei ver tanta desgraça dizia  Sofia á sua amiga Júlia, mas de qualquer maneira valeu a pena, porque o belo e o  horrível fazem parte  da nossa existência  assim como a vida e a morte.
 
 
Texto  escrito e ficcionado  para a :http://fabricadehistorias.blogs.sapo.pt/
publicado por linhaseletras às 23:09
link do post | comentar | ver comentários (4) | favorito
Sexta-feira, 21 de Janeiro De 2011

Para "Ti"

                                                                                                                                            
 
 
Para"Ti"
 
 
 
 
Hoje era o teu dia Mãe querida,
O dia do teu aniversário,                                                                                                       
Sem Ti meu mundo está ao contrário,
Desde que partiste desta vida.
 
Sem Ti não há luz, só escuridão,
Sem Ti os dias são sempre iguais,
Sem querer do meu peito saem ais,
Que esmagam de dor meu coração.                                                                         
 
 Sinto que onde estás Tu és feliz,
Quero acreditar que   seja assim,
E esse pensamento traz-me Paz.
 
Já que foi assim que Deus o quis,
Onde Tu estiveres olha por mim,
Eu vou-te agradecer se fôr capaz.
 
 
Este soneto é dedicado á minha Mãe que fazia hoje se fosse viva noventa anos.
 
 
 
   M-I-P
publicado por linhaseletras às 23:24
link do post | comentar | favorito
Quinta-feira, 20 de Janeiro De 2011

Ditados populares"O saber de um povo"

Numa linda manhã de Primavera Mariana acordou com o Sol a entrar pelo quarto dentro e a beijar o seu rosto ainda ensonado,  como que a dizer-lhe "levanta-te" que o dia está tão bonito que é um desperdício não ires aproveitar.
............Então deu um salto para fora da cama e veio-lhe  á ideia um provérbio que seu Pai dizia quando ela  não se  queria levantar:QUEM MUITO DORME POUCO APRENDE.Talvez por se lembrar desse ditado tão popular,  nesse dia decidiu ir visitar   uma amiga que não via há muito tempo e por as novidades em dia, já sentia saudades da sua amiga Juliana, que conhecia desde o tempo da  Primária.
.........Quando chegou a casa da amiga ficou muito admirada ao vê-la encostada a uma bengala e a andar muito devagar mas a fazer a lida da casa com muita dificuldade.
....Então Juliana o que te aconteceu?Não sabia que estavas assim tão mal, é que nós já há muito tempo que não nos víamos e não houve ninguém que me informasse do teu estado.
Não é nada de muito grave ,mas sabes que o nosso trabalho era muito "puxado" e agora a nossa coluna está a ressentir-se do esforço que fizemos durante tantos anos, mas eu não posso estar quieta e quando vejo as coisas por fazer, mesmo sem poder vou fazendo.
.............Pois é minha amiga lá diz o velho ditado :"MAIS VALE  QUEM QUER DO QUE QUEM PODE"
Então e tu Mariana que é feito de ti?Olha cá vou andando com os meus problemas de sempre mas nunca fazendo muito caso deles, vou -os contornando e vou vivendo á minha maneira não dando ouvidos ao que algumas pessoas dizem, mesmo que haja pessoas a dizerem-me que eu devia fazer isto ou aquilo, por isso eu sigo o que a minha cabeça manda e mais nada ,e lá diz o velho ditado:"TODOS OS CONSELHOS TOMARÁS MAS O TEU NÃO DEIXARÁS"
.....E com esta maneira de pensar tenho-me saído muito bem, vivo a minha vida e deixo os outros viverem a deles  sem me importar com isso seguindo a velha máxima"VIVE E DEIXA VIVER"
Mas sabes eu hoje vinha com a ideia de te convidar a dar um passeio, apanhar um pouco de Sol e talvez depois irmos lanchar a qualquer sitio bem acolhedor como fazíamos quando andávamos  a trabalhar juntas,que é que dizes?Alinhas ou não?
..............Claro que alinho, é só combinar-mos o dia  para  orientar  as minhas tarefas e podermos ficar uma tarde inteira na conversa.E já diz o velho ditado:"A FALAR É QUE A GENTE SE ENTENDE"
Passou uma semana que foi o tempo que a minha amiga precisou para poder tirar uma tarde  aos seus afazeres para a dedicar a nós duas e podermos desfrutar da companhia uma da outra.
Eram 14 horas e já nós estávamos a beber um café , depois fomos dar uma volta para ver as montras ,porque comprar era mais difícil o dinheiro era muito pouco nas nossas carteiras mas o poder ver coisas novas e bonitas já nos punha bem dispostas, mas sempre comprámos qualquer coisa mesmo barata foi apenas uma lembrança que trocámos entre as duas.
Estava na hora do lanche e lá fomos nós á nossa pastelaria preferida eu comi o meu bolo preferido o maravilhoso "pastel de nata" mas a Juliana é um pouco mais gulosa e só o "pastelinho" não lhe chegava e pediu o bolo maior que estava na montra e eu disse-lhe assim :olha que vais ficar gorda a comer dessa maneira, ao que ela me respondeu, não sabes aquele ditado que diz"GORDURA É FORMOSURA"
Durante o nosso lanche fomos falando da nossa vida ,dos filhos e também dos nossos sonhos, foi quando a minha amiga me perguntou.Então essa tua mania de escrever ainda continua? eu disse-lhe que sim e agora com uma agravante, meti na cabeça que tenho de publicar as coisas que escrevo, o que me dizes desta ideia "maluca" depois de velha é que me meti nestas andanças. Ela ficou sem palavras mas ao mesmo tempo ficou contente por eu ter    conseguido dar a volta aquela vida sem graça e sem perspectivas e partir para a concretização do meu sonho.
Acabado o lanche já a tarde ia adiantada saímos da pastelaria felizes por termos passado aquela bela tarde juntas. Despedimo-nos  com um apertado abraço e com a promessa de repetirmos  aqueles momentos o mais breve possível, e com o desejo da minha amiga para que eu conseguisse realizar os meus sonhos e disse-me estas ultimas palavras."MAIS VALE TARDE DO QUE NUNCA" 
 
Texto escrito e ficcionado para a :
 http://fabricadehistorias.blogs.sapo.pt/
publicado por linhaseletras às 22:47
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
Quarta-feira, 12 de Janeiro De 2011

Raiva de viver

 

 

 

Raiva de viver

 

 

 

Olhando hoje para trás, para o passado longínquo vislumbro no meio de uma nuvem  muito espessa uma menina com a cabeça cheia de sonhos e com umas ideias  um pouco estranhas para aquela época.

---------Mas quis a vida que esses sonhos e essa menina ficassem esquecidos dentro dessa mesma nuvem.

Durante muitos anos não se sabia o que tinha acontecido, para aquela menina ter esquecido os seus sonhos, pior ainda ,tinha-se esquecido de viver.

.....Alguém tinha descoberto aquela menina aos catorze anos de idade e "matou" todos os sonhos que ela trouxera consigo quando nasceu, e não houve nada nem ninguém que pudesse ajudá-la  a evitar tamanha injustiça.

........Decorreram muitos anos de muito sofrimento.Uma "guerra" pelo meio o não querer saber da vida porque essa vida tinha-a atraiçoado e tinha-lhe tirado todas as oportunidades e tinha ficado"aniquilada"era talvez isso que muitas pessoas queriam ou pensavam que essa "menina"estava,mas no meio de tanta incerteza nunca baixou os braços, mas escondeu-se atrás dum muro de silencio fazendo crer a toda a gente e mesmo a ela própria que nada lhe interessava.

-----Mas isso era o que passava para o exterior, porque dentro do seu coração havia uma "Raiva construtiva" que ela guardava em silêncio e nesse silêncio escrevia tudo o que o coração mandava e que guardava como tesouros bem escondidos porque sabia que ninguém acreditava nela, talvez nem ela própria.

..Com quinze anos essa menina passou a ser mulher e mãe e passou a ver o mundo de outra forma, mas sempre na "sombra"mas sempre a lutar   contra aquilo que a fazia sofrer sem nunca abandonar nada nem ninguem, abdicou de tudo para tudo dar a quem amava sem receber quase nada em troca.

.........Mas os anos foram passando e essa "Raiva" foi ganhando "corpo" e vida, mas foi preciso muito tempo para se soltar e fazer valer o seu poder.

Não se arrepende das decisões que tomou ao longo da vida, mas tem uma grande "raiva contida"  dentro dela por terem feito ela perder os melhores anos de vida que não  mais voltarão e que foram perdidos sem serem justificados.

Mas no meio disto tudo há uma coisa que ninguém lhe conseguiu tirar, foi o orgulho e o Amor-próprio sempre foi uma apaixonada por si própria e tem a certeza que foi  isso que a aguentou nas muitas horas difíceis que por ela passaram.

.......Hoje aqui está essa menina a deitar para fora com a ajuda dessa "Raiva" tudo o que sentiu durante tantos anos e foi essa Raiva que fez com que desse  a volta por cima e assim possa hoje fazer  tudo o que estava guardado cá dentro, se  não fosse esta força talvez tivesse ficado encolhida a um canto como tanta gente ficou a ver a vida a passar e deixando  morrer os sonhos.

....Os meus sonhos apenas tiveram muito tempo adormecidos, talvez quem sabe estiveram a crescer e a tornarem-se adultos e mais maduros.

Hoje dou graças a Deus por não ter desistido de lutar por aquilo em que acreditava e ter tido coragem e com a ajuda da minha neta Joana dar a conhecer ao mundo aquilo que gosto de fazer, que é escrever.

Mas não é fácil enfrentar a desconfiança de muitas pessoas que pensam que não somos nós que fazemos as coisas que mostramos, há sempre pessoas que nos dizem assim:Foste mesmo tu que escreveste isto?

......E aquela Raiva de viver e dar a conhecer o que se faz vem ao de cima e fazemos os possíveis e os impossíveis para fazer mais e melhor e termos o prazer de mostrar mais coisas que nos dão um enorme orgulho.

Hoje sinto que os meus sonhos estão realizados, mesmo tarde consegui deita-los cá para fora e sinto-me uma pessoa feliz, mas ainda tenho muita coisa para fazer e mostrar, assim continue a viver com esta Raiva e a coragem para ir fazendo o que me faz feliz.

--Foi esta Raiva de viver que me manteve sempre alerta sem nunca me esquecer que para se ser feliz temos muitas vezes de lutar contra tudo e contra todos e não deixar que a Raiva seja destrutiva e sirva para nos fazer bem e não para nos atormentar e destruir.

 

Texto real escrito para :http://fabricadehistorias.blogs.sapo.pt/

 

......

publicado por linhaseletras às 00:24
link do post | comentar | ver comentários (6) | favorito

mais sobre mim

pesquisar

 

Janeiro 2011

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
13
14
15
16
17
18
19
22
23
24
25
26
28
29
30
31