Libertação

 
Este é o oitavo soneto da coroa
 
 
 
Libertação
 
Terás sem condições, o meu Amor
Sem perguntas, ou recriminações
Podes deixar falar, as emoções
Deita cá para fora, a tua dor
 
 
Liberta a angustia, que magoa
Sufocando, não te deixa respirar
Tu lutas, mas não consegues parar
Mesmo sem quereres, o tempo voa
 
 
Tens de aproveitar, melhor o tempo
O tempo quando vai, não volta mais
Na vida nunca nada, se repete
 
 
Deixa-te levar, pelo momento
Os dias não serão, todos iguais
E nunca ninguém dá, o que promete
 
   M-I-P                                                           
 
 








publicado por linhaseletras às 22:38
link do post | comentar | ver comentários (6) | favorito