Terça-feira, 22 de Abril De 2008

Erros

Serà que errei

Por tanto te Amar, renunciei

A tudo o que a vida, me oferecia

                                  Sem talvez saber, porque o fazia

                       Não consegui ver, e sei que errei

            

                   Errei, mas não sei se tive culpa

                  O destino, assim estava traçado

               E por mim, nunca foi alterado

                      E não consegui ver, como é que errei

  

           Tive que pensar, como crescida

                    Embora ainda fosse, uma criança

                     E a vida, j à me tinha posto à prova

 

               Agora, eu dou mais valor à vida

                          E dentro de mim, renasce a esperança

                   De mesmo tarde, ter uma vida nova

  

M-I-P
sinto-me:
publicado por linhaseletras às 23:16
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito

Noites de luar

 
 
 
Olá! aqui vai mais um poema acabadinho de,  fazer já é um pouco tarde mas não quero ir deitar-me sem deixar  mais este presente para vós.
 
                    
 
Branca Lua
                     
Ó Lua branca e teimosa 
As nuvens vais empurrando
Para sozinha ires ficando
Grande, bela e generosa
                     
De Prata banhas a terra
E fazes ao Sol inveja
E esperas que alguém veja
Toda a beleza que encerra
                   
Tentei um dia roubar-te
Esse teu tom prateado
Para alegrar minha vida
                 
Mas conseguiste escapar-te
Lançaste-me o mau-olhado
Esem ti fiquei perdida
 
   M-I-P                
sinto-me: Com sono
publicado por linhaseletras às 00:22
link do post | comentar | favorito

mais sobre mim

pesquisar

 

Abril 2008

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
21
30