Terça-feira, 18 de Dezembro De 2007

Recordações duma mãe

Olá cá estou eu outra vez para conversar-mos um pouco. O tema hoje é recordações.

 

Hoje de manhã quando ia para o trabalho ,em conversa com  as minhas colegas de viagem

 

lembrei o tempo de escola das minhas filhas, e fiquei todo o dia a pensar nisso.

 

 

Há!!!!!! como tenho saudades desse tempo. Tenho tantas saudades das minhas filhas

 

meninas, saudades das suas traquinices, do momento em que foram para a escola, tão

 

pequenas com as suas batas brancas ,quando chegavam a casa todas contentes porque

 

 tinham aprendido alguma coisa nova.

 

Depois quando acabaram a primária que foram para o liceu,o entusiasmo do inico. e depois

 

o desencanto e o abandono da escola. Daí até agora foi um passo e já passaram 30 anos

 

e muitas coisas se passaram umas boas e outras menos boas , mas isso faz parte da vida

 

Casaram tiveram filhos, os meus netos que são a coisa mais bonita que me aconteceu.

 

A pensar nisto tudo, fiz uns versos para partilhar convosco hoje

 

 

Este poema vai ser dedicado ás minhas filhas.  ARMINDA      E    GUILHERMINA    e aos

 

netos  o  RICARDO  e a     JOANA  que são a luz da minha vida.

 

 

Saudades da vossa infância     

                    

Tenho tamanha saudade

Dos vossos tempos de escola

Vocês com tão pouca idade

Levando ao ombro a sacola

                   

Não podendo prelongar

Esse momento fugaz

Só me resta relembrar

Porque isso! eu sou capaz

                  

Se recordar é viver

Vivo muito pois então

Pois passo o tempo a rever

Esses momentos de então

                 

Momentos  que já passaram

Que eu lembro com emoção

Tantas coisas que ficaram

Guardadas no coração

 

 

Por hoje já chega   para todos os que por aqui  passarem

 

 

  Feliz Natal para todos

 

 

 

 

 

publicado por linhaseletras às 23:28
link do post | comentar | favorito

...

Vou outra  vez falar do Natal ,desculpem mas tem de ser.

 

Nesta  época ,eu que já sou triste, ainda fico mais triste.         

 

Quando era pequena, o Natal era realmente a festa da familia ,juntava-se a família, não havia

 

muitos presentes, mas havia muito mais calor humano, muito mais disponibilidade para

 

se estar em convivio .     A mesa estava posta quase toda a semana  com as iguarias que as

 

pessoas faziam ao serão, e tinham um sabor diferente feitas pelas mãos das nossas mães

 

 e avós,                            

 

Agora não há tempo para essas coisas,a vida é uma correria o tempo não chega para tanta

 

coisa que queremos fazer ,metade delas sem nenhum interesse.

                   

                                    

Gasta-se o dinheiro que não se tem ,para se comprar aquilo que muitas vezes não faz

 

falta nenhuma ,mas que tem que se comprar porque é Natal                    

 

Assim em vês de dares um presente! Dá Amor* Amor* Amor* e mais Amor ,tenta

 

compreender melhor os outros ,Amar quem está perto de ti,  aproveitar todos os momentos

 

 para estares com quem Amas, porque quando perdemos quem Amamos ficamos  sem

 

vontade de festejar seja o que fôr,e com o coração sangrando, que é como tenho o meu.

 

Agora vamos ao poema do dia!                    

 

 

Coração sangrando

               

Trez feridas tenho no peito

Que estão abertas sangrando

Meu coração está desfeito

Minha alma está chorando

             

Chora de saudade e dor

De revolta e de amargura

Ninguém ouve o clamor

Duma verdade tão dura

                 

É duro viver com saudade

Daqueles que já não temos

Sabendo que na verdade

Mais tarde também iremos

                

Será que na Eternidade

Nos voltaremos a ver?

Eu vivo nesta ansiedade

Mas não desejo morrer

 

             

Hoje isto é um bocado triste , mas eu sou mesmo assim, isto que estou a passar para o

 

blog é a minha realidade. Este poema que vou escrever a seguir é dedicado a uma

 

pessoa muito especial para mim, quem me conhece sabe a quem  é dirigido, por isso

 

aqui vai,   » Estejas Tu onde estiveres é para Ti»                

 

 

Saudades de Alguém

                      

Saudades tenho de alguém

Que partiu antes da hora

É muito duro mas ninguém

Pôde impedir de ir embora

                  

Partiu sem dar um aviso

Sem direito a despedida

Mata no rosto um sorriso

De quem cá fica perdida

                   

Fica-se a flutuar

No Universo sem rumo

Sem saber onde parar

Ea vida desfaz-se em fumo

               

Sem esperança nem coragem

Só se pensa na partida

O tempo mostra a pasagem

P'ró outro lado da vida

 

                   

É por tudo isto que esta quadra é muito triste para mim          

 

Vou acabar por hoje      

 

                                                        Boa noite

 

publicado por linhaseletras às 00:30
link do post | comentar | favorito

mais sobre mim

pesquisar

 

Dezembro 2007

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
15
17
19
21
24
27
29