Terça-feira, 11 de Dezembro De 2007

Esperança

Hoje vou falar sobre a Esperança .

 

Eu tenho Esperança de viver ainda muitos anos, para puder fazer tudo aquilo que eu  gosto e

 

que nunca pude fazer.

 

Esperança de ver os meus netos crescerem e tornarem-se pessoas de Bem.

 

Esperança que as pessoas deixem de olhar só para o seu umbigo, e olhem em frente para

 

verem que o mundo não gira só á sua volta.

 

Esperança que Deus se lembre  de nós ,e que nos envie Paz  ! porque a Guerra já tomou conta

 

de todo o Planeta.

 

Esperança de um dia ligar a »TV »  e ouvir  alguma noticia boa.

 

 

Mas como isto não passa só de Esperança vou voltar á realidade.

 

 

Aqui vai o poema do dia!

 

 

 

Esperança na vida

 

Parei para pensar na vida

 Mas a vida não parou

E não encontrei saída

E o mundo nunca mudou

 

Não queiras mudar o mundo

Segue apenas teu caminho

Com o sentimento profundo

 Que não o fazes sózinho

 

Faz o bem esquece o mal

Nunca penses em vingança

Porque o que conta afinal

É nunca perder aesperança

 

A esperança é o que resta

Quando não há solução

Tudo aquilo que não presta

Não guardes no coração

 

 

Por hoje já chega 

 

 

publicado por linhaseletras às 22:04
link do post | comentar | favorito

...

Continuo na mesma onda de ontem. A pensar no que foi a minha vida e no que poderia ter sido

se eu tivesse tido coragem de trocar as voltas ao destino, mas  era muito jovem e ainda por

cima amordaçada pela vida,  assim vivi durante vinte e cinco anos.

Perdi os melhores anos da minha vida e isso não me vou esquecer  nunca. Houve vários

factores que levaram a isso , mas o principal foi a Guerra Colonial que estragou a vida a

milhares de jovens como eu. Porque levaram-nos os nossos homens »Sãos» e trouxeram-nos

 doentes revoltados e sem objectivos na vida a não ser quererem esquecer a qualquer preço

aquilo porque tiveram que passar.

Alguns não conseguiram dar a volta e os que  conseguiram foi com a ajuda de quem estava

por perto mesmo assim nunca se consegue a estabilidade para ter uma vida normal.

Este assunto dava» pano para mangas» .Mas vou terminar escrevendo dois poemas dessa

época

 

 

Amar

Amar é doce ilusão

É sonho de adolescente

É dar  vida ao coração

é sentir a alma quente

Amar é dor sofrimento

Quem o diz tem a certeza

É sofrer sem um lamento

E viver na incerteza

Amar é doce loucura

Ser amada é ser feliz

Eu nem conheço a ternura

O amor nada me diz

Se um dia chegasse a ter

Um pouco de felicidade

Mandava embora o sofrer

Punha de lado a saudade

 

 

 

 

Isto foi escrito há trinta e cinco anos,

Só agora os dou a conhecer , porque acredito que fechados na gaveta não fazem nada,

e partilhando convosco o que foi a minha vida sinto -me muito bem.

publicado por linhaseletras às 13:56
link do post | comentar | favorito

mais sobre mim

pesquisar

 

Dezembro 2007

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
15
17
19
21
24
27
29