Lamparinas

 
Lamparinas
 
 
Nessa manhã Sofia acordou e na sua cabeça ainda tinha as imagens do sonho que a tinha feito andar nas nuvens toda a noite.
Depois do banho foi tomar o pequeno almoço  e saiu para o seu emprego como fazia todos os dias. Mas naquele dia tinha  uma ideia nova na sua mente.Tirar umas férias, mas gostava que a sua amiga Júlia a acompanhasse.
Nessa manhã nem conseguia concentrar-se no tabalho de tão anciosa que estava  só de pensar que ia ter umas férias e viajar.
Já havia mais de dois anos que não conseguia ir a lado nenhum e férias também tinha tido poucas. A empresa onde trabalhava tinha começado a funcionar  há pouco tempo e o patrão  pediu um esforço um pouco maior aos seu colaboradores e esse esforço incluía não ter férias, ou ter só parte delas.
Mas agora já não era preciso um esforço tão grande e já se podia gozar as férias tão merecidas.
Assim que a Júlia chegou correu para ela e disse-lhe! Sabes amiga, hoje acordei com uma ideia  espectacular mas queria que  fizesses parte  dela.
Então que ideia é essa  Sofia tão espectacular? Já estou a ficar curiosa ,deita-a  cá para fora senão ainda rebentas.
Júlia queres ir viajar comigo? tiramos  as nossas férias  e vamos pelo mundo sem destino.
A ideia é muito tentadora e eu aceito, assim me deixem tiras as férias na mesma altura que tu.
Mesmo nesse dia foram pedir ao chefe se lhe dava  as férias  na mesma altura e como o chefe estava em dia "sim" marcou logo as férias para a semana  a seguir.
Nesses dias que antecederam o começo das férias não tiveram mais descanso.Foi um corrupio para as agencias de viagens, a escolhas do guarda-roupa foi uma dor de cabeça.Tiveram de parar um tempo para decidirem para onde queriam ir e depois então pensarem na indumentária.
Tanto escolheram que foram parar ao Brasil, e ainda pouparam na roupa mesmo sendo a viagem mais cara que para outros destinos.
Agora que estava  decidido  o destino e  o guarda -roupa era só fazer as malas e partirem á aventura.
Finalmente chegou o grande dia, nessa noite  não conseguiram dormir e para ser mais fácil para as duas controlarem a ansiedade, a Julia  veio para casa da Sofia, que ficava mais perto do aeroporto e assim iam logo juntas para não perderem mais tempo.
Já no interior do avião não paravam de fazer projectos para aqueles dias maravilhosos que iam passar.
A viagem foi longa mas as duas não pensavam nisso, a ideia estava já no destino final
Quando chegaram estavam cansadas mas muito felizes por terem conseguido realizar  o seu sonho, nos dias que se seguiram Sofia e  Júlia não pararam, queriam ver tudo o que pudessem, foram a sítios maravilhosos, paraisos, com coisas que mesmo nos sonhos nunca tinham visto.
Mas houve um dia quase no fim das férias já estavam a  pensar no regresso resolveram ir visitar os sitios onde se tinha dado a tragédia das inundações e desmoronamentos.
Ficaram horrorizadas com o que viram e com o coração apertado ao ver aquela destruição.
Em muitos sítios onde antes havia casas e gente havia agora destroços e muitas casas destruídas, havia por todo o lado altares com muitas velas acesas,  pequenas lamparinas a iluminarem os sítios onde tantas vidas se perderam.
Depois duma viagem tão bonita não pensei ver tanta desgraça dizia  Sofia á sua amiga Júlia, mas de qualquer maneira valeu a pena, porque o belo e o  horrível fazem parte  da nossa existência  assim como a vida e a morte.
 
 
Texto  escrito e ficcionado  para a :http://fabricadehistorias.blogs.sapo.pt/
publicado por linhaseletras às 23:09
link do post | comentar | favorito